• 13 de abril de 2024

Cirurgia robótica completa um ano no Hospital São Vicente de Paulo

 Cirurgia robótica completa um ano no Hospital São Vicente de Paulo

Neste período, quase 150 procedimentos foram realizados com sucesso em Passo Fundo

O Hospital São Vicente de Paulo Fundo completa, nesta sexta-feira (26), um ano da implantação da cirurgia robótica. Neste período 131 procedimentos ortopédicos foram feitos com o auxílio do robô CORI de segunda geração e, mais recentemente, 16 com apoio do Versius. O uso da tecnologia representa um marco para a saúde ao oferecer maior precisão, qualidade e resultados mais efetivos aos pacientes.

A primeira intervenção robótica foi realizada em 26 de maio de 2022 pelos cirurgiões André Kuhn e Osmar Valadão Lopes Júnior, integrantes do Serviço de Joelho do HSVP e da Clínica IOT. Até agora, foram 131 procedimentos ortopédicos, tendo como predominante o público dos 46 aos 87 anos, com diagnósticos de sequelas pós-traumáticas ou artrose degenerativa. O resultado é considerado extremamente positivo e foi reconhecido na Inglaterra pela fabricante do robô. “Recebi da empresa Smith & Nephew uma placa que enaltece a minha performance individual como sendo o profissional que, em menor período de tempo, realizou o maior número de cirurgias com o equipamento na América Latina. Essa conquista foi possível graças ao suporte do Hospital e de toda a equipe que está interessada em acompanhar a evolução e o futuro da medicina”, disse o Dr. Kuhn.

Vislumbrando avanços em outras áreas, em março de 2023, o HSVP anunciou a chegada de um segundo robô, chamado Versius. O equipamento da empresa britânica CMR Surgical foi adquirido para auxiliar os profissionais da ginecologia/pélvica, coloproctologia, urologia, cirurgia torácica, oncológica e geral. A estreia dele aconteceu um mês depois, durante uma colectomia em 19 de abril, mas em pouco tempo já foram 16 cirurgias. O cirurgião Milton Bergamo, que também preside o Comitê de Robótica do HSVP, lembra que somos a única instituição do interior do Estado a contar com dois robôs cirúrgicos. “Com 20 anos de evolução da tecnologia robótica no mundo, apenas 1% das cirurgias são realizadas desta forma na América Latina enquanto que nos Estados Unidos já somam 19%. Temos um potencial enorme de crescimento e o HSVP está de parabéns por ter investido primeiro em duas plataformas robóticas”, afirmou o Dr. Bergamo.

TECNOLOGIA E HUMANIZAÇÃO 

A cirurgia robótica é uma operação feita com a assistência de um robô, por isso em nenhum momento o equipamento opera sozinho. Todas as manobras, executadas por ele em sala cirúrgica, são dirigidas por um cirurgião. O diretor técnico médico do HSVP, Adroaldo Mallmann, explica como funciona o equipamento: “é o humano que comanda o processo do início ao fim junto à sua plataforma. Ao invés do médico estar com a mão na pinça, é o robô quem faz os movimentos durante a cirurgia. Isso é extraordinário porque a máquina não treme, é mais lenta e precisa. Para os pacientes os resultados são ainda mais evidentes, já que o tempo de internação e a recuperação reduzem bastante. Com o Versius, por exemplo, uma alta médica que levaria em torno de uma semana, agora, acontece em dois ou três dias”, esclareceu o Dr. Mallmann.

O presidente do HSVP, José Miguel Rodrigues da Silva, reforça que a Instituição também dispõe do melhor suporte aos pacientes de cirurgia robótica. “O trabalho de recuperação é multiprofissional, conta com uma equipe de enfermagem bem treinada, ótimos médicos e fisioterapeutas. Não basta oferecermos a melhor cirurgia, nós também prezamos por atendimento humanizado, cuidados clínicos eficientes e uma recuperação tranquila. Já realizamos quase 150 procedimentos, todos exitosos, colocando Passo Fundo e o Hospital São Vicente de Paulo na vanguarda das inovações na área cirúrgica. Avançamos muito e agora comemoramos um ano de cirurgia robótica, é um caminho sem volta e temos muito ainda a conquistar com a ajuda da tecnologia e a disposição do nosso corpo clínico e dos colaboradores”, finalizou José Miguel. 

OS ROBÔS DO HSVP

O robô CORI foi a primeira aquisição do Hospital para ser utilizado em cirurgias artroplastia total de joelho e futuramente em procedimento de quadril. Com o uso de uma câmera fixada na articulação e de sensores no joelho, o equipamento robótico de segunda geração transmite em um monitor a tomada exata de medidas da área a ser operada guiando o trabalho médico. A redução da agressão cirúrgica e, consequentemente, do sangramento, são dois grandes benefícios observados com o uso deste equipamento.

Já o Versius é a última plataforma a entrar em operação clínica no mundo, sendo o robô do HSVP o mais moderno da região norte do Estado e um dos oito exemplares existentes no Brasil. Por ter uma estrutura compacta e móvel, ele atende as particularidades de diferentes especialidades, permitindo que a sua tecnologia seja acessada por um número maior de pessoas. Hoje, este equipamento realiza cirurgias na região do abdome com técnicas minimamente invasivas, redução de riscos de infecções e um pós-operatório mais rápido.

RS Norte

Noticias Relacionadas