• 20 de junho de 2024

AMZOP: Reunião na URI busca o fortalecimento do Laboratório do Leite e instalação do curso de Terapeuta Ocupacional

 AMZOP: Reunião na URI busca o fortalecimento do Laboratório do Leite e instalação do curso de Terapeuta Ocupacional

Integrando a programação de aniversário da URI, Câmpus de Frederico Westphalen, no dia 29 de maio a universidade sediou a reunião da Associação dos Municípios da Zona da Produção (Amzop). Estiveram presentes representantes de grande número de municípios da região para debater os assuntos da pauta.

Entre os temas previstos, estiveram dois voltados à URI que foram abordados pela diretora geral da instituição de ensino superior, Elisabete Cerutti. O primeiro deles, foi a solicitação do apoio da Associação para o fortalecimento do Laboratório do Leite – um dos seis do país –, que atende mais de 10 mil produtores, com cerca de 40 mil análises/mês. Atualmente, a universidade mantém a estrutura e precisa de ajuda para não onerar os produtores rurais que pagam R$ 12 por análise.

A proposição de Elisabete foi criar um grupo de trabalho para encontrar maneiras de fortalecer o laboratório, dentre elas, criar Políticas Regionais para esta finalidade e ir em busca de ajuda também do governo do Estado. Na reunião, ficou definida a equipe da Amzop que ajudará nesta demanda, sendo composta pelos prefeitos de Palmitinho e presidente da Associação, Caetano Albarello, de Pinheirinho do Vale, Nelbo Appel, de Iraí, Vilson Bernardi, de Caiçara, Daniel dos Santos, de Seberi, Adilson Balestrin e o vice-prefeito de Frederico Westphalen, João Vendruscolo.

Albarello apoiou a proposição da URI/FW, justificando a importância do Laboratório do Leite, pois a maioria dos municípios da região tem a bacia leiteira como parte da sustentação do meio rural. “Com este grupo, vamos trabalhar para ajudar a universidade a preservar esta estrutura, pois para termos mais rentabilidade, precisamos ter a certeza que o produto é de qualidade e com o laboratório é possível conseguirmos este norte”, explicou o presidente.

Outro assunto explanado pela diretora da instituição de ensino superior foi a necessidade de implantação do curso de Terapeuta Ocupacional, que será ofertado no próximo Vestibular de Verão. “A instituição criará este curso, atendendo a um pedido da Apae de Frederico Westphalen, que demonstrou a necessidade de profissionais capacitados, pois atualmente a cada 36 crianças que nascem, uma apresenta algum tipo de deficiência ou outro Transtorno do Espetro Autista. O Terapeuta Ocupacional é que vai ajudar no desenvolvimento desta criança. O profissional é útil também na terceira idade para reaver algum trauma que o idoso possa ter”, expôs Elisabete.

A necessidade de abrir o curso se baseia na informação que em toda região há apenas três Terapeutas Ocupacionais, com carga horária lotada todos os dias e, mesmo assim, não conseguem dar conta de toda a demanda. Para isso, a diretora da URI sugeriu que os municípios indicassem e apoiassem pelo menos um aluno e que esta pessoa, depois de formada, possa prestar serviços na prefeitura, atendendo a comunidade local que necessite.

Em nome da Amzop, Albarello elogiou a ideia da universidade, pelo grande número de casos de pessoas já contabilizados em cada município que precisam deste atendimento diferenciado. O tema será abordado em outro encontro da Associação para envolver o maior número de prefeitos possível.

Outras pautas

Também integraram a programação da reunião, impactos causados pelas adversidades climáticas, apresentados pela Emater/RS-Ascar, o Projeto da Oncologia no Hospital Divina Providência de FW, exposto pela diretoria da casa de saúde, e o quadro de funcionários nos municípios, tarifa social e previsão de início de investimento no saneamento, explicado pelos representantes da Aegea.

RS Norte

Noticias Relacionadas