• 18 de maio de 2024

QUESTIONANDO!! Evans Melo – Advogado

 QUESTIONANDO!! Evans Melo – Advogado

UMA CATÁSTROFE DANTESCA

A catástrofe ocorrida no Rio Grande do Sul foi e está sendo um dos eventos mais devastadores da história da humanidade, tendo trazido uma destruição sem precedentes para o nosso estado. A força da natureza subjugou uma população inteira, demonstrando o quão frágeis somos diante dos eventos climáticos. O poder de destruição das águas se demonstrou inimaginável. Não estávamos preparados para a magnitude desse evento, isso é fato. Todavia, isso também demonstrou a inoperância do Estado e sua burocracia inútil e perversa. Mas isso trouxe à luz o heroísmo e a força de um povo.

LIÇÕES DE UMA TRAGÉDIA

 O Estado, seja por seus governantes, seja pelo seu sistema burocrático, demonstrou ser uma agente do caos, pois não tem uma preparação mínima para atender sua população e salvar vidas em momentos de crise. As ações do governo estadual e do governo federal são pífias e até mesmo cruéis, na medida que chegou ao ponto de impedir resgates, de impedir doações sem pagamento de impostos e de inviabilizar a distribuição de alimentos a quem tem fome. A estupidez dos governantes e burocratas é mais cruel do que a própria catástrofe climática, pois esta não pode ser controlada, mas as ações preventivas e de auxílio podem ser amplos, desde que um estado opressor e ávido por impostos não interfira. Cabe uma reflexão ampla sobre a atuação dos governantes e agentes burocráticos do estado.

O DESPREPARO QUE MATA

O que se viu foi uma total falta de organização estatal para atender e socorrer a população, mas sobretudo a crueldade de medidas regulatórias inúteis e sem sentido, que privaram voluntários de fazer mais, notadamente aquilo que o estado não fez. Mas a falta de organização e de prioridade do estado foi demonstrada pela inexistência de um plano de combate a crises. Aliás, isso não pode jamais ser imputado a qualquer evento climático, pois o poder da organização e de medidas de urgência em situações dessa envergadura dependem em muito de planejamento e de visão, o que o governo do estado demonstrou não possuir. Não há explicação plausível para a sua ineficiência, ou mesmo inação, pois recentemente tivemos um evento dessa natureza e com as mesmas características, embora em proporções menores, mas nem com esse prelúdio de uma catástrofe o governo do estado se propôs a traçar panoramas e montar um plano contra crises. Aliás o governo do estado só está preocupado em aumentar impostos e não em proteger a população, o que se mostra lamentável.

A FALTA DE EMPATIA E A CRUELDADE

A ignorância, falta de empatia e crueldade humana não tem limites, pois chegou ao ponto de vermos os governantes rirem da situação catastrófica que nos assola, além de tentarem encontrar nomes para um plano que nem sabem como fazer ou mesmo tratarem de futebol em meio a um desastre. Por outro lado, vislumbramos a crueldade pura de alguns agentes da imprensa que preferem exaltar shows a pedirem auxílio às vítimas, mas também vimos alguns fazerem chacota da situação de famílias que morreram sem o resgate quando suas casas foram levadas pelas águas. De fato, a maldade e a crueldade existem e estão entre nós, mas muito disso decorre de uma ideia de destruição de valores que está sendo pregada por muitos que estão no poder ou na mídia.

EXEMPLOS A SEREM SEGUIDOS

Nem tudo está perdido, pois vimos governantes de outros estados e pessoas de todos os extratos sociais agirem pronta e eficazmente para auxiliarem e salvar vidas, mesmo lutando contra a burocracia e incapacidade de alguns de nossos gestores e políticos de redes sociais. Aliás, constatamos que outros estados são governados por pessoas que olha para a população e que se preparam minimamente para eventos adversos a ponto de enviarem ajuda mais rápida e efetiva do que a o nosso próprio governo, mesmo estando a milhares de quilômetros.

OS HERÓIS  

Vimos cidadãos dos mais variados agirem prontamente, mas também vimos os agentes públicos, os verdadeiros representantes e protetores do povo, atuarem incessantemente, mesmo a despeito da burocracia e ineficiência do governo. São pessoas comprometidas, que sabem o valor de vidas e da ajuda rápida e eficaz, são heróis que lutaram contra a força destrutiva da natureza para salvar vidas, mesmo não tendo os recursos necessários ou a organização estatal fundamental, mas sobretudo vencendo a burocracia estupida, pois deram seu melhor e mais para salvar vidas sem se ater a regulamentos que tiram a liberdade e engessam ações, pois a vida está acima de tudo. Não há palavras para descrever essas pessoas, que não hesitaram em auxiliar, mesmo colocando suas próprias vidas em risco. Deus age por seus filhos, mesmo quando o mal insiste em nos derrubar. Parabéns a esses heróis.

QUAL A SITUAÇÃO?

Qual a situação de Frederico Westphalen? Embora tenhamos sido atingidos de modo memos grave, não há como deixar de se questionar sobre a existência de medidas preventivas e de recuperação de nossa infraestrutura atingida, será que existe um plano?

FISCALIZA FREDERICO

O nosso município está sofrendo com a falta de sinal de telefone, mesmo não tendo sido um dos mais atingidos, isso não é de hoje, pois a empresa VIVO – posso falar, pois sou consumidor – é contumaz em deixar seus consumidores sem sinal, mas nos últimos dias isso se agravou. Qual a explicação para esse descumprimento da continuidade do serviço? Será que não possível resolver isso, pois há dias que ficamos totalmente sem sinal?

Se tiver dúvida ou questionamentos envie para o e-mail [email protected]

João 8:32 – E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

RS Norte

Noticias Relacionadas