• 24 de fevereiro de 2024

Evans Melo – Advogado

 Evans Melo – Advogado

AUMENTO DE IMPOSTOS I

O governador Eduardo Leite propôs aumentar o ICMS de 17% para 19,5 %, ou seja, um aumento real de 14,70 %. Todavia, vislumbrando uma derrota dantesca na Assembleia Legislativa, em movimento capitaneado pela oposição e pelo Deputado Rodrigo Lorenzoni, mas com apoio até mesmo da base governista e amplo apoio popular e do setor produtivo, foi forçado a retirar o projeto. Será que espremer os contribuintes foi a única visão que Eduardo Leite teve como administrador e isso fez sua proposta nascer morta? Em suma, a proposta é velha e sem qualquer capacidade de fazer a diferença, dado a experiência que a história nos conta a respeito dessa medida, mas demonstra uma visão limitada do governo.

AUMENTO DE IMPOSOTS II

O atual governo gaúcho retrocedeu em seu intento de majoração de impostos, mas por outro lado, resolveu enviar a conta para a classe produtiva e para a população, retirando incentivos fiscais que auxiliam na manutenção de empregos, movimentação da economia e redução de preços de produtos, notadamente inclusive da cesta básica. Será que houve algum estudo para isso? Foi somente incapacidade administrativa de gerenciar situações adversas? Ou foi uma punição a quem não aguenta mais pagar impostos sem ter o retorno devido e resolveu se contrapor a propostas simplistas de um gestor que não demonstra capacidade de melhorar o estado com políticas que sejam produtivas?

 AUMENTO DE IMPOSTOS III

Há um ditado popular que diz, em suma, que as palavras por vezes são o chicote que açoita o seu propalador. Então vale lembrar uma notória, embora deselegante e ofensiva, afirmação feita por Eduardo Leite quando em campanha contra o seu adversário e então governador Sartori: “TEM QUE TIRAR A BUNDA DA CADEIRA”. Pois é!!! Falar é fácil, agir com competência e enfrentar situações adversas com capacidade gerencial e soluções produtivas não é para bravateiros e para quem não sabe os caminhos para resolver velhos problemas. Todavia, isso leva a crer que que as contas somente ficaram “em dia” quando o governador recebeu vultuosos recursos do governo federal no período pandêmico, mas que o fim desses recursos demonstrou realmente a capacidade de administrar do governo Eduardo Leite, será essa a conclusão?.

FREDERICO EM LUZ

O Frederico em Luz é uma proposta de movimentação da economia municipal com atrações e decorações natalinas. Está fazendo grande sucesso pelo que se nota do público que frequenta a praça. Todavia, há que se ter em mente o retorno real para Frederico Westphalen, pois tal evento não pode ser um fim em si mesmo. Uma avaliação a respeito do custo-benefício é salutar, pois com isso será possível identificar o real retorno e o que pode ser melhorado para ampliar os benefícios do dinheiro público investido no evento. Será que a administração municipal tem esses números e planos de otimização, ou seja, valores despedidos, retorno tributário, retorno para o comércio, ampliação do consumo com efetivo retorno financeiro e social, etc.? Desde já fica ressaltado que o melhor para Frederico Westphalen deve ser priorizado e as ações devem ser direcionadas para esse fim principal.

QUAL A SITUAÇÃO?

Qual a situação da CPI? Existe alguma evolução ou será que a pizza está no forno?

FELIZ NATAL!

Então da luz veio um Salvador, nasceu Jesus Cristo, que deu sua vida pelo seu povo, com ele nasceu o Cristianismo e seus valores de humanidade e fraternidade. Celebramos no Natal o seu nascimento, mas sobretudo a renovação das esperanças em um mundo melhor e iluminado. Feliz Natal a todos!

FISCALIZA FREDERICO

Esse colunista disponibiliza um canal para que a população envie informações em relação a situação da nossa cidade com o intuito de trazer à luz situações que podem – e devem – ser solucionadas pelos órgãos públicos. Fica à disposição o e-mail fiscalizafw@yahoo.com como canal de contato.

João 8:32 – E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

RS Norte

Noticias Relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *