• 20 de abril de 2024

A LÓGICA DO TIRANO Evans Melo – Advogado

 A LÓGICA DO TIRANO   Evans Melo – Advogado

O Tirano odeia democracia e adora subserviência. Para manter tudo sob o seu controle, usa seu arcabouço de maldades e estratégias nefastas de força, que podem ser truculentas ou opressivas, mas que reduzem o poder de decisão do povo, tais como:

1 – força bruta, prisões e até mesmo assassinatos;

2 – Intimidação e ações de supressão de direitos, como controle da informação e criminalização da opinião e livre pensamento;

3 – ações de controle social por meio de estagnação da economia e meios de produção, que visam infligir necessidade e até mesmo controlar pessoas por meio da fome, ou seja, retirando o poder de compra e dando migalhas com forma de “ajuda” para controlar o faminto;

4 – a instalação de regimes de dependência decorrentes de ações desestruturantes da liberdade econômica e social são uma constante, podendo ser exemplificadas ações de majoração de impostos para redução de poder de compra e de empreendedorismo, de modo que empreendedores e empresas deixam de investir e mover a economia, pois não é possível garantir o fluxo de modo viável, deste modo a pobreza se instala e os menos favorecidos são dominados literalmente pela fome e pela necessidade de sobrevivência, quando então se submetem a situações constrangedoras e humilhantes, pois não têm mais capacidade de sobreviver sem as migalhas do tirano, que usa o poder estatal e os recursos acumulados com o trabalho de quem produz, para “salvar” o faminto e o dominar. Então se instala um ciclo vicioso e altamente degradante da sociedade, que vai empobrecendo e nessa medida vai trocando seus pensamentos e ideais pelo mínimo para sobreviver.

5 – doutrinação por meio de divisão social e imposição de mecanismos que vão aniquilando a capacidade cognitiva e crítica, além de deturpar o ensino com mecanismos mentais e ideológicos que atacam o intelecto e a formação da personalidade e pensamento crítico, trocando raciocínio por massificação de um pensamento único e desconstrutivo, levando o ser humano a não mais ser um individuo único e com direitos e capacidade de pensar (direitos humanos de fato pregados por Immanuel Kant, que vê o ser humano com um fim e não como o meio para atingir qualquer objetivo que não seja, possibilitar uma mente autônoma, em resumo), para ser uma peça descartável, útil para a dominação, mas inútil como ser humano que pensa, de modo a ser execrado e excluído do sistema quando expressa pensamento ou critica o sistema de dominação que o escravizou física e intelectualmente.

Dito isso, cabe analisar a situação, será que atacar quem produz, atacar quem pensa diferente e criticamente, majorar impostos, criar uma dependência estatal para sobreviver, doutrinar as crianças e jovens, além de impor divisões sociais absurdas e exclusivas não é uma ação de dominação tirânica?

RS Norte

Noticias Relacionadas